Mercados globais estão mais tranquilos, avalia Tombini

O presidente do Banco Central disse que os mercados globais seguem momentos "mais tranquilos", diante de maior clareza sobre os próximos passos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) no processo de retirada dos estímulos monetários não convencionais, o que ficou conhecido como tapering. "Superada a etapa inicial, já com maior clareza sobre os próximos passos, os mercados globais seguem momentos mais tranquilos", afirmou o presidente do BC durante o discurso na abertura do XVI Seminário Anual de Metas de Inflação, no Rio, nesta quinta-feira, 15.

DANIELA AMORIM, IDIANA TOMAZELLI E MARIANA DURÃO, Agencia Estado

15 de maio de 2014 | 11h04

Apesar dessa avaliação, Tombini disse, contudo, que as consequências deste movimento para as demais economias ainda não estão totalmente definidas. "Seguem questões em aberto sobre o processo de normalização nos EUA e suas implicações para a economia global", afirmou. Para ele, o tapering resultou em um previsível e natural aumento da volatilidade dos mercados globais. "Trata-se de uma reação típica em qualquer momento de transição", comentou.

Tombini ressaltou ainda que na próxima semana completará um ano desde que o Fed emitiu o primeiro sinal da retirada dos estímulos. "Desde a edição do seminário no ano passado, o principal tema dos debates macroeconômicos dizem respeito ao processo de normalização das condições monetárias", disse.

Inflação

O presidente do BC festejou os 15 anos de implantação do regime de metas de inflação no País. Durante o discurso na abertura do seminário, o presidente da autoridade monetária disse que o Brasil vive 15 anos de inflação sob controle, desde que o regime foi implantado. "Essa edição tem significado especial porque marca 15 anos da implantação do sistema de metas de inflação. São 15 anos de inflação sob controle, graças a um arcabouço de política monetária", declarou Tombini.

Tombini falou também que o regime de metas mantém flexibilidade suficiente para permitir ajustes ante choques econômicos e que a operacionalização do regime requer constante esforço da autoridade monetária. Ele afirmou ainda que o evento é parte central do esforço de ampliar a rede de intercâmbio entre o banco e instituições. Segundo ele, o seminário de metas, um dos principais do calendário do BC, tem se firmado como importante fórum de divulgação de ideais sobre o tema inflação. Ele declarou esperar que o debate sobre metas de inflação contribua para o fortalecimento institucional do BC.

Tudo o que sabemos sobre:
BCmetas de inflaçãoTombini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.