coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Mercados: incertezas pressionam cotações

A alta da taxa de risco-país do Brasil verificada nos últimos dias reflete as incertezas dos investidores, principalmente dos estrangeiros, em relação à capacidade do Brasil em honrar sua dívida. Essa taxa mede a diferença entre os juros pagos pelo governo norte-americano e as taxas brasileiras. Ontem, por volta das 18h, a taxa de risco Brasil estava em 1.127 pontos base ou 63 pontos acima do fechamento de ontem, em 1.064 pontos base.As incertezas também provocam um aumento da procura por dólar, pressionando para cima a cotação da moeda norte-americana. O dólar comercial encerrou a quarta-feira cotado a R$ 2,6090, em alta de 0,46% em relação aos últimos negócios do dia anterior. No ano, a moeda norte-americana acumula uma valorização de 12,65% em relação ao real.O fato é que as condições do mercado vêm se agravando a cada dia. Nessa semana, a nova regra de marcação a mercado para os fundos de investimento assustou os investidores e provocou um aumento nos saques das carteiras. Para efetuar esses pagamentos, os gestores precisam vender títulos, elevando a oferta desses papéis. O resultado é a continuidade da desvalorização dos títulos, que provocam novas perdas nas carteiras e podem resultar em um círculo vicioso.Para piorar o cenário, a agência de classificação de risco Moody´s rebaixou a perspectiva para o rating soberano do Brasil de "positivo" para "estável". A justificativa apresentada no relatório da agência Moodys é de que a dificuldade do governo em colocar títulos com prazo mais longo provoca uma concentração de vencimentos no primeiro semestre de 2003. Esse fato influencia os investidores, principalmente os estrangeiros, que passam a exigir juros mais elevados para negociar títulos da dívida do País. Outro motivo para a elevação da taxa de risco-país. Os investidores também demonstram maior aversão aos investimentos no País. Exemplo disso é a saída de capital estrangeiro, no total de R$ 149,576 milhões, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), em maio. Dados de inflação no Brasil e mercado de trabalho nos EUAA taxa de inflação no município de São Paulo em maio deverá fechar dentro de um intervalo de alta de 0,05% a 0,15%. Esta é a previsão de economistas e analistas, ouvidos pelo jornalista Francisco Carlos de Assis, para o Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a ser divulgado hoje. Nos Estados Unidos, o principal indicador econômico a ser divulgado nessa quinta-feira são os pedidos de auxílio desemprego, usados como indicador do ritmo da atividade econômica do País.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

06 de junho de 2002 | 08h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.