Mercados: instabilidade deve continuar

O mercado financeiro deve ter mais um dia de forte instabilidade em função das incertezas em relação à Argentina e à extensão da crise política interna. Sobre a Argentina, os investidores temem que o país não seja capaz de honrar suas dívidas e de retomar o crescimento econômico. A primeira notícia do dia é o cancelamento do leilão de papéis do Tesouro argentino, que estava marcado para amanhã. A decisão do ministro da Argentina, Domingo Cavallo, foi anunciada ontem à noite e tem como principal motivo o clima de desconfiança em relação à economia do país vizinho, o que poderia levar o governo a pagar juros muito elevados. Outro motivo para a decisão de Cavallo foram as declarações do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, de que o Tesouro norte-americano poderia conceder um socorro financeiro para a Argentina. Já o presidente do Banco Mundial (Bird), James Wolfensohn, negou que tenha conversado com o presidente da Argentina, Fernando de la Rúa, sobre uma antecipação de recursos do pacote total de R$ 40 bilhões aprovados no final do ano passado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).De qualquer forma, a expectativa dos analistas é que a notícia de cancelamento do leilão pode ter um efeito muito negativo sobre o mercado financeiro brasileiro hoje, pois revela a deterioração das condições argentinas. O dólar comercial abriu em alta e há pouco estava cotado a R$ 2,2770 na ponta de venda dos negócios - alta de 1,88% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em baixa e há pouco registrava queda de 2,37%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - começam o dia pagando juros de 24,200% ao ano, frente a 23,000% ao ano registrados na sexta-feira. Veja no link abaixo mais informações sobre a situação argentina e a crise política interna, que também será foco de atenções para os investidores nessa semana. Dicas de investimentoAnalistas recomendam cautela para quem tem dinheiro a investir no curto prazo. Em períodos mais longos, o investidor terá que avaliar a tolerância que tem ao risco. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.