Lucas Jackson/Reuters
Lucas Jackson/Reuters

Mercados internacionais fecham mistos em dia com poucos acontecimentos

Sem novos indicadores, os investidores voltaram a analisar os dados fracos do mercado de trabalho dos EUA, divulgados na semana passada, e o avanço da pandemia na Ásia

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2021 | 17h30

Os principais índices do mercado internacional fecharam mistos nesta segunda-feira, 10, dia marcado por uma agenda de indicadores esvaziada e também pela falta de acontecimentos relevantes ao mercado. Hoje, os investidores voltaram a analisar os dados fracos do mercado de trabalho dos Estados Unidos para abril, divulgados na semana passada, e também o avanço da pandemia.

Na última sexta-feira, 7, o relatório de geração de novas vagas dos EUA, o chamado payroll, mostrou a criação de apenas 266 mil empregos em abril, resultado ficou bem abaixo da expectativa de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que previam a geração de 780 mil a 1,3 milhão de vagas, com mediana de 1 milhão.

Para o presidente da distrital de Chicago do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Chris Evans, o número não é tão preocupante, já que, segundo ele, os dados para abril costumam "sofrer com ajustes sazonais". Evans também disse estar otimista com a economia americana e o mercado de trabalho do país.

No noticiário da pandemia, o avanço da doença na Índia continua preocupando os investidores, já que o país, um dos maiores consumidores de petróleo no mundo, continua registrando sucessivos recordes de contágios e mortes em 24 horas. O Japão também segue no radar, já que a vacinação contra a covid no anfitrião dos Jogos Olímpicos, previstos para julho, avança em ritmo extremamente lento, com apenas cerca de 3% da população inoculada.

No Reino Unido, a reeleição da primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, no fim de semana, gerou preocupação ao bloco, já que ela reforçou sua posição a favor da independência escocesa em relação à Londres. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que irá chamá-la para conversar.

Bolsas de Nova York

Em um dia com poucos acontecimentos, os índices americanos terminaram sem sinal único em Nova York. Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq fecharam em quedas de 0,10%, 1,04% e 2,55% cada, principalmente após serem pressionadas pelo avanço do rendimento do mercado de títulos do Tesouro dos EUA. Os papéis com vencimento para dez e trinta anos subiram 1,601% e 2,322%, respectivamente.

A melhora do mercado de títulos públicos pressiona os índices acionários e estimula uma fuga dos ativos de risco, já que são opções mais seguras. Hoje, a alta veio após uma fala do presidente do Fed da distrital de Dallas, Robert Kaplan, que disse estar na hora da entidade monetária discutir a redução do seu programa de compra de títulos públicos americanos.

Bolsas da Europa

O índice pan-europeu Stoxx 600, que concentra as principais empresas da região, fechou em alta de 0,10%, enquanto a Bolsa de Frankfurt ficou estável e Paris teve ganho marginal de 0,01%. Milão, Madri e Lisboa subiram 0,78%, 0,94% e 0,54% cada.

Na contramão, diante do impasse no cenário político do Reino Unido, Londres caiu 0,08%, mas com as ações de mineradoras em alta, beneficiadas pelo avanço recorde do minério de ferro na China. As cotações saltaram 10% na bolsa chinesa de Dalian e subiram 8,63% no porto chinês de Qingdao, a US$ 230,56 a tonelada.

Bolsas da Ásia

Os índices chineses de XangaiShenzhen subiram 0,27% e 0,19% cada, enquanto a Bolsa de Seul avançou 1,63% e a de Tóquio teve ganho de 0,55%. Na contramão, a Bolsa de Hong Kong caiu 0,05% e a de Taiwan teve recuo de 0,29%.

Petróleo

O petróleo encerrou a sessão desta segunda em alta, próximo à estabilidade, apesar da volatilidade na parte da manhã, após um ataque cibernético obrigar uma operadora a fechar o sistema Colonial Pipeline, que transporta derivados de petróleo para a Costa Leste dos Estados Unidos. De acordo com a Rystad Energy, os impactos do fechamento do duto serão localizados, com a possibilidade de aumento de preços em Estados do Nordeste e Sudeste americano, enquanto refinarias europeias podem aumentar suas exportações aos EUA, de forma a compensar atrasos na oferta local. 

O presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou que o governo americano está preparado para tomar medidas adicionais em relação ao ataque cibernético que fechou o duto. Ele ainda não voltou a operar. O WTI com entrega prevista para junho fechou perto da estabilidade, em alta de 0,03%, cotado a US$ 64,92, enquanto o do Brent para julho avançou 0,06%, a US$ 68,32. /MAIARA SANTIAGO, GABRIEL CALDEIRA, GABRIEL BUENO DA COSTA E SÉRGIO CALDAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.