Courtney Crow/New York Stock Exchange via AP
Courtney Crow/New York Stock Exchange via AP

Mercados internacionais fecham mistos em dia de poucos acontecimentos

Sem um fato relevante ao mercado, investidores se voltaram para indicadores das economias chinesa e americana; exceção foi a Europa, onde um índice chegou a bater recorde

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2021 | 17h40

Em um dia de poucos acontecimentos, as principais Bolsas do exterior fecharam mistos nesta segunda-feira, 7. A exceção foram os índices da Europa, que chegaram a bater recorde. Hoje, investidores monitoraram dados da economia chinesa e também indicadores do mercado de trabalho americano, que foram divulgados na última sexta.

Segundo dados divulgados nesta madrugada, as exportações da China registraram salto anual de 27,9% em maio, abaixo da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de avanço de 32,2%. Já as importações tiveram disparada anual de 51,% no mesmo intervalo, também aquém da expectativa, de 53,0%.

Ainda na agenda de indicadores, as encomendas à indústria da Alemanha caíram 0,2% em abril ante março, segundo o órgão oficial de estatísticas do país. O resultado contrariou o consenso de alta de 0,8%.

Já nos Estados Unidos, o mercado de trabalho criou 559 mil empregos em maio, menos do que se previa no mês passado, segundo dados publicados na última sexta-feira, 04. Ainda que decepcionante, o indicador gerou expectativas de manutenção de estímulos monetários pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano), o que ajudou a impulsionar as bolsas de Nova York no fim da semana passada.  

Bolsas da Europa

O dia foi favorável no mercado europeu, com o índice Stoxx 600, que concentra as principais empresas da zona do euro, encerrando em recorde de fechamento, com ganho de 0,22%, aos 453,56 pontos. O bom humor também foi visto na Bolsa de Londres, que subiu 0,12%, enquanto Paris teve alta de 0,43%.

Milão, Madri e Lisboa avançaram 0,99%, 0,83% e 0,4% cada, com apenas a Bolsa de Frankfurt indo na contramão e encerrando em queda de 0,40%, após oscilar entre perdas e ganhos durante o dia.

Bolsas de Nova York

O mercado de  Nova York fechou misto, com Nasdaq em alta de 0,49%, mas Dow Jones e S&P 500 em baixas de 0,36% e 0,08% cada. Por lá,  a Casa Branca informou que o presidente Joe Biden ainda "está trabalhando" para agendar uma nova reunião com a senadora republicana Shelley Moore Capito sobre o pacote de infraestrutura.

Bolsas da Ásia

Os dados fracos da balança comercial chinesa prejudicaram o mercado asiático hoje. A Bolsa de Hong Kong cedeu 0,45%, enquanto a de Taiwan teve queda de 0,37%. A Bolsa de Tóquio teve ganhos modestos, em alta de 0,27% - o mesmo foi visto no mercado chinês, com os índices de Xangai e Shenzhen avançando 0,21% e 0,26% cada.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho hoje, em baixa de 0,19%, após encerrar os três pregões anteriores em níveis recordes. 

Petróleo

petróleo fechou em queda nesta segunda-feira, sob ajustes após a alta de cerca de 5% nos contratos na semana passada. Investidores ainda monitoram as negociações para o possível retorno dos Estados Unidos ao acordo nuclear com o Irã, o que pode elevar a oferta de  petróleo do país do Oriente Médio, em um momento no qual a demanda ainda é afetada pela pandemia. 

O barril do petróleo WTI com entrega prevista para julho fechou em queda de 0,56%, a US$ 69,23. Já o Brent para agosto teve igual queda, a US$ 71,49 o barril. /MAIARA SANTIAGO, ANDRÉ MARINHO, GABRIEL BUENO DA COSTA E GABRIEL CALDEIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.