Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Mercados internacionais têm alta generalizada; Bolsa de Xangai tem melhor nível desde 2018

Negociações são impactadas por otimismo com possíveis tratamentos para covid-19 e retomada da economia

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2020 | 07h07

Os mercados internaciais apresentam alta generalizada nesta segunda-feira, 6, por causa do otimismo com a retomada econômica e com o possível desenvolvimento de novos tratamentos para o novo coronavírus. A Bolsa de Xangai teve crescimento de 5,71%, garantindo seu maior ganho diário desde 2015 e atingindo o maior nível desde o começo de 2018.

O bom humor prevaleceu apesar de o mundo ter registrado novo recorde de casos de coronavírus em 24 horas, de mais de 212 mil, e da força que a covid-19 ganhou nos EUA nas últimas semanas em meio ao processo de reabertura econômica.

Ásia e Oceania

As bolsas da China fecharam em forte alta, à medida que mais investidores buscam ações financeiras com a esperança de que os sinais de recuperação da economia chinesa, após o choque do coronavírus, levem a um "bull market" (mercado com tendência de alta).

O índice Xangai Composto saltou 5,71%, a 3.332,88 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 3,90%, a 2.121,59 pontos. O volume negociado em Xangai e Shenzhen ultrapassou 1,5 trilhão de yuans (cerca de US$ 212 bilhões), o maior valor em cinco anos, segundo a provedora de dados Wind.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng subiu 3,81%, a 26.339,16 pontos, enquanto o japonês Nikkei se valorizou 1,83% em Tóquio, a 22.714,44 pontos, o sul-coreano Kospi avançou 1,65% em Seul, a 2.187,93 pontos, e o Taiex registrou ganho de 1,74% em Taiwan, a 12.116,70 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana contrariou o tom positivo da Ásia e ficou no vermelho, com preocupações sobre o coronavírus se sobrepondo à perspectiva de recuperação econômica. O S&P/ASX 200 caiu 0,71% em Sydney hoje, a 6.014,60 pontos.

Europa

As bolsas europeias abriram em alta significativa nesta segunda-feira, com investidores focando a perspectiva de recuperação econômica e avanços de possíveis tratamentos para a covid-19 e, ao mesmo tempo, deixando de lado sinais de aceleração da pandemia. A abertura positiva vem também após o crescimento das bolsas chinesas.

Às 4h13 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 1,88%, a de Frankfurt avançava 1,98% e a de Paris se valorizava 1,90%. Já em Milão, Madri e Lisboa, os ganhos eram de 1,90%, 2,40% e 1,29%, respectivamente.

Petróleo

Os contratos futuros do petróleo operam em alta nesta segunda-feira, revertendo perdas da sessão anterior, em meio a ganhos expressivos dos mercados acionários após um rali nas bolsas chinesas. Analista do UBS, Giovanni Staunovo também cita decisão da Saudi Aramco de elevar a maioria de seus preços de petróleo para clientes do Extremo Oriente, EUA e noroeste da Europa.

Embora "normalmente os preços oficiais (do petróleo) não sirvam de sinalização para os negócios, por serem baseados em fundamentos locais e no estreitamento da demanda. Essa elevação de preços era esperada, e pode ser vista como um sinal otimista", justificou Staunovo.

Às 5h09 (de Brasília), o barril do petróleo WTI para agosto subia 0,69% na Nymex, a US$ 40,93, enquanto o do Brent para setembro avançava 1,71% na ICE, a US$ 43,53. / COLABOROU LUÍSA LAVAL; COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.