finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mercados: investidores não abandonam cautela

O mercado financeiro começa o dia sem fatos novos que provoquem alguma reação mais significativa no início dos negócios. Permanecem no cenário as incertezas em relação ao racionamento de energia e seus reflexos na economia brasileira, as incertezas em relação à capacidade da Argentina de retomar o crescimento econômico e o desenrolar do processo eleitoral para presidente em 2002 no Brasil. O dólar comercial abriu em alta e há pouco estava cotado a R$ 2,3720 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,55% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com queda de 0,10%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 20,510% ao ano, frente a 20,250% ao ano registrados na sexta-feira.A renúncia dos ex-senadores Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) diminuíram a instabilidade no mercado financeiro provocada pelos fatos políticos. Porém, com as últimas notícias veiculadas pela imprensa no final de semana em que o presidente do Senado Jader Barbalho é acusado de participar de transações ilegais, o cenário político pode ganhar força novamente (veja mais informações no link abaixo).Sob esse aspecto, a preocupação dos investidores é de que a imagem do presidente da República fique ainda mais prejudicada, abrindo espaço para a eleição de um candidato de oposição em 2002. Em função do problema de racionamento de energia, essa hipótese já é fortemente considerada pelos analistas e investidores. O que mais se teme em relação à eleição de um candidato de oposição é que a política econômica do País seja totalmente alterada. Os investidores vêm nesse cenário um risco, já que não se sabe qual seria o caminho adotado pela oposição para governar.Estados Unidos atraem atenções nessa semanaEm uma semana de poucos negócios no Brasil, em função do feriado na quinta-feira, os investidores estarão atentos aos números da economia norte-americana que serão divulgados nessa semana. O principal deles sai na sexta-feira. Trata-se do índice de preços ao consumidor (CPI), que revela a inflação aos consumidores do país.O número gera expectativa já que, para evitar um processo recessivo, o banco central dos EUA (Fed) vem reduzindo a taxa de juros do país desde o início do ano. Porém, segundo os analistas, esse corte na taxa deve ser feito de maneira criteriosa e gradual para que o controle da inflação não seja comprometido. Veja mais perspectivas para a semana no mercado financeiro no link abaixo.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

11 de junho de 2001 | 10h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.