Mercados: manhã otimista, tarde pessimista

Pela manhã foi divulgado o PPI - Índice de preços ao produtor (atacado) - dos Estados Unidos para o mês de agosto. O índice ficou em -0,2%, quando os analistas previam +0,2%. Com sinais de desaquecimento da economia norte-americana, os mercados têm um estímulo para acreditar que as taxas de juros não voltarão a subir, elevando cotações. No Brasil, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgou o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) das últimas quatro semanas, que também ficou abaixo das expectativas, em 1,17%. Com isso, a manhã foi de recuperação nas cotações.Porém, à tarde, surgiram notícias controvertidas a respeito do preço do petróleo, a principal fonte de preocupações dos mercados. Enquanto o presidente da Organização dos Países Produtores de Petróleo, Ali Rodriguez, anunciava uma capacidade ociosa de 2,9 milhões de barris de petróleo nos países-membros da associação, o ministro de petróleo do Kuwait declarava que apenas os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita ainda podem expandir seus atuais níveis de produção no curto prazo. Esses pareceres contraditórios trouxeram apreensões renovadas, com alta do petróleo e pessimismo nos mercados à tarde. O preço do tipo Brent para entrega em novembro fechou em US$ 31,90 por barril em Londres. Os mercados brasileiros viraram e passaram a operar com baixas na Bovespa e altas nos juros e dólar. A Bovespa - Bolsa de Valores de São Paulo - fechou em queda de 1,35%. O destaque foi a alta de 4,35% dos papéis da Tele Centro Oeste Celular, com rumores de que a Portugal Telecom estaria interessada em comprá-la. O dólar fechou em R$ 1,8390, com alta de 0,38% e os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,050% ao ano, frente a 16,940% ao ano ontem. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 0,85%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em alta de 0,51%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.