coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Mercados mantêm cautela e esboçam melhora

Assim como nos últimos dias, o cenário político é o principal foco de influência para os investidores. Os resultados das duas pesquisas divulgadas ontem à noite, Datafolha e Vox Populi, diminuíram a tensão nos mercados, pelo menos até o próximo boato eleitoral. Mas o clima de cautela permanece entre os investidores. As pesquisas registraram um crescimento vertiginoso do pré-candidato do PT, Luís Inácio Lula da Silva, que superou a barreira dos 40% das intenções de votos em ambas as apurações. Já o presidenciável pelo PSDB, José Serra, aparece em segundo lugar nas duas pesquisas. A arrancada forte de Lula não assustou os investidores, que apostam num crescimento de Serra a partir dos programas nacionais do PSDB na TV. Estão previstas inserções nos dias 21, 28 e 30 deste mês e 1 e 4 de junho.Também repercutiu bem o anúncio de cortes no orçamento de R$ 5,3 bilhões e de aumento na alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) a partir de 18 de junho, que resultará na receita adicional de R$ 1,1 bilhão. Tais medidas foram anunciadas ontem pelo governo e têm por objetivo compensar as perdas com o atraso na aprovação da emenda que prorroga a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Os investidores gostaram, pois as medidas mostram austeridade fiscal, especialmente por estarem sendo adotadas num ano eleitoral, quando, tradicionalmente, o governo costuma ser mais complacente com o dinheiro público. A Moody´s elogiou esta manhã as medidas de ajuste fiscal. O viés negativo, ponderam alguns analistas, é que esses cortes prejudicam a atividade econômica.Esta manhã, o líder do PFL na Câmara, Inocêncio Oliveira, disse que a votação da CPMF no Senado deverá ser concluída até o dia 10 de junho. Mas, se depender do PFL, o governo não conseguirá reduzir a noventena (prazo de 90 dias para entrada em vigor da Contribuição). Inocêncio reafirmou que o PFL considera inconstitucional a redução da noventena.Veja os números do mercado financeiroÀs 15h11, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,5050, em queda de 0,16% em relação aos últimos negócios de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pagam taxas de 18,980% ao ano, frente a 19,150% ao ano registrados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em alta de 1,54%.O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - estava em alta de 0,38%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - operava com valorização de 2,20%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.