Mercados monitoram pacote argentino

Amanhã será suspenso o feriado cambial na Argentina e as medidas econômicas adotadas pelo governo entrarão em vigor. Preocupados com a reação dos mercados e da população, os investidores brasileiros assumiram posições cautelosas, mesmo porque o cenário econômico de estabilidade e a proximidade do Carnaval não impulsionam os negócios.A principal preocupação é com a flexibilização do "corralito" e com as perdas trazidas pelo sistema adotado de pesificação da economia. O semi-congelamento dos depósitos bancários foi flexibilizado, e teme-se agora que os argentinos realizem saques em massa e comprem dólares, pressionando o sistema financeiro e forçando uma disparada das cotações da moeda norte-americana. O câmbio foi unificado, valendo a livre flutuação do peso, como no Brasil, e as dívidas em dólar serão convertidas pela taxa de $1 peso por dólar. Mas, para os depósitos bancários, a taxa é de $1,40 peso por dólar. A diferença causará perdas estimadas em US$ 30 bilhões para os bancos e deve ser coberta pela emissão de títulos públicos. Se o governo não for muito disciplinado nessa emissão e na administração das contas públicas, a inflação pode sair do controle.Por conta das lacunas deixadas pelas medidas econômicas, o apoio dos organismos financeiros internacionais é incerto. A Argentina espera conseguir US$ 15 bilhões para atravessar esse período de transição com menos sobressaltos, mas ainda não há sinais claros de ajuda.Se a crise econômica é aguda, a situação política também é muito grave, com o confronto entre os três poderes. O presidente Eduardo Duhalde suspendeu por 180 dias o decreto de inconstitucionalidade do "corralito", tomado pela Suprema Corte na sexta-feira. Os juízes da instituição estão sob investigação por favorecimento político e corrupção pelo Congresso em um processo de impeachment e comenta-se que a decisão de proibir o "corralito" tenha sido um ato de pressão pela extinção do processo, que pode acabar com a destituição do cargo dos nove juízes.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.