Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mercados mundiais começam a semana em forte alta

Ásia e na Europa subiram à espera de novas medidas anticrise na China e de resgate de montadoras nos EUA

Redação com agências internacionais,

08 de dezembro de 2008 | 08h14

Os mercados mundiais começaram a semana em forte alta. Bolsas subiram na Ásia e na Europa com novas medidas para impulsionar o crescimento na China e com a promessa do presidente eleito dos EUA, Barack Obama, de tirar os Estados Unidos da recessão. Veja Também:  Desemprego, a terceira fase da crise Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  O índice Hang Seng, de Hong Kong subiu 8,7%, sua maior alta em sete semanas. A Bolsa de Tóquio fechou o pregão em alta de 5,2%. Em Seul, o índice Kospi da Bolsa de Seul fechou em alta de 76,92 pontos (7,48%), para 1.105,05. O indicador de valores tecnológicos Kosdaq subiu 14,55 pontos (4,82%), aos 316,71.Os principais mercados europeus também dispararam nesta segunda-feira. A bolsa de londres operava em alta de 5% na manhã de hoje, enquanto o Índice DAX, de Frankfurt, tinha alta de 6,3% e o CAC, de Paris, ganhava 6,4%. Apesar dos maus resultados de índices de emprego nos Estados Unidos, divulgados na sexta-feira - o maior corte de postos de trabalho em 34 anos, os investidores apostaram em sinais que as principais economias do mundo estão redobrando os esforços para retomar o crescimento. Oficiais chineses se encontram nesta semana para discutir possíveis novos passos para expandir o plano de estímulo de US$ 586 bilhões. Nos Estados Unidos, espera-se um pacote de resgate para as montadoras do país. O novo plano chinês deve conter propostas para aumentar as exportações, elevar os investimentos em bolsas de valores e com serviços sociais.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsascrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.