Mercados: nervosismo domina os negócios

O mercado financeiro no Brasil está reagindo de forma negativa à alta da taxa básica de juros - Selic. O dólar comercial continua apresentando forte alta é há pouco estava cotado a R$ 2,1600 na ponta de venda dos negócios - alta de 1,79% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 19,500% ao ano, frente a 18,050% ao ano registrados ontem.Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a reação dos investidores foi ainda mais pessimista, em função da perspectiva de queda no crescimento da economia brasileira, além da desaceleração da economia mundial, provocada pelo desaquecimento da economia dos Estados unidos. O Ibovespa - Índice que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bovespa - está em queda de 5,95% no início da tarde. O volume de negócios na primeira parte do pregão foi de R$ 312 milhões.O cenário externo contribui para a tendência negativa para os mercados brasileiros. O índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na bolsa de Nova York - acumula queda de 2,92%. A Nasdaq - bolsa dos EUA que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet nos Estados Unidos - opere com leve de 0,25%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.