Mercados: notícias argentinas favorecem abertura

A situação econômica na Argentina começa a semana novamente no centro das atenções dos investidores. De acordo com apuração do correspondente Vladimir Goitia, a Câmara de Deputados decidiu esta madrugada conceder poderes especiais ao ministro de Economia, Domingo Cavallo, mas com algumas limitações. Isso significa que o ministro não poderá reduzir salários de funcionários públicos, nem o valor de aposentadorias e pensões. Também não poderá demitir funcionários públicos e nem privatizar o Banco Nación (uma espécie do Banco do Brasil). Os poderes especiais também não atingem a Lei de Conversibilidade, ou seja, fica garantida a paridade cambial. Mas poderá fundir ou dividir órgãos federais; mudar a Lei Trabalhista e facilitar demissões de funcionários públicos, mudar a estrutura dos ministérios, usar ativos públicos como garantias para empréstimos; mudar impostos taxas ou contribuições; e reestruturar os planos de assistência social. Ainda hoje, o Senado deve transformá-los em lei, assim como a Lei de Competitividade, que foi apresentada na noite de quarta-feira da semana passada ao Congresso. Mercado começa o dia mais tranqüiloEm função de uma melhora nas notícias argentinas, o dólar comercial abriu cotado a R$ 2,1520 na ponta de venda dos negócios - queda de 0,92% em relação às últimas operações de sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 2,03%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 20,250% ao ano, frente a 21,050% ao ano ontem.Apesar da boa abertura dos negócios no mercado financeiro, os analistas afirmam que ainda é cedo para comemorar uma reversão da tendência de instabilidade que dominou os mercados durante a semana passada. O momento ainda é de cautela para o investidor. Veja no link abaixo um balanço sobre as aplicações em março e as recomendações de analistas. Confira também as perspectivas para a semana no mercado financeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.