Mercados operaram com otimismo

A expectativa de queda na Selic - a taxa de juros básica referencial da economia - na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), dia 20 de dezembro, está se consolidando no mercado e os investidores operaram com otimismo. Hoje, os juros seguiram em queda. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,190% ao ano, frente a 17,510% ao ano ontem. A leitura dos que sustentam a opinião de que há espaço para a queda dos juros é que o cenário interno está favorável há alguns meses e agora a situação dos mercados financeiros internacionais está mais estável e com boas chances de melhora. O petróleo tem oscilado em um patamar de preços mais baixo, a situação argentina parece estar se acomodando e os juros nos EUA podem cair nos próximos meses.Apesar das quedas nas bolsas em Nova York, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 2,58%. Será leiloada amanhã a Copene, disputada oficialmente pela americana Dow, pela brasileira Ultra e pela argentina Perez Companc. Operadores comentam que, como a Ultra conta com apoio do BNDES, a expecativa de entrada de dólares não é forte. Porém, a Dow também é uma forte concorrente e, se levar a petroquímica brasileira, o fluxo cambial será favorecido. Ainda que o dólar recue com o leilão, no entanto, analistas consideram que será um movimento pontual. O dólar fechou em R$ 1,9560, com queda de 0,66%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.