Mercados oscilam com poucos negócios

O dia foi marcado por oscilações em torno das cotações de fechamento de ontem. Contribuiu para isso a variação mínima nos preços do petróleo em relação a ontem. Como os mercados estão muito sensíveis a essa variável, dada a estabilidade em um bom cenário interno, as variações diárias nas cotações do petróleo têm influenciado os mercados diretamente. Hoje, os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em novembro fecharam praticamente estáveis em queda de 0,03% em Londres, a US$ 31,05 por barril.Conforme esperado, o FED - banco central norte-americano - decidiu hoje pela manutenção da taxa de juros básica dos EUA em 6,5% ao ano. A decisão foi baseada na desaceleração que a economia dos Estados Unidos vêm apresentando. Esse era o objetivo do FED, que vinha aumentando as taxas, temendo um aquecimento excessivo da economia. Como os indicadores econômicos confirmam a queda das taxas de crescimento, o momento é de tranqüilidade. O revés dessa política é a perda nos lucros das empresas norte-americanas, o que vem afetando as bolsas do País. O Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 0,18%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em queda de 3,17%. A empresa brasileira de classificação de risco SR Rating elevou a avaliação de risco dos títulos brasileiros. A melhora do rating do Brasil já era esperada, e pode melhorar o ânimo dos investidores na Bolsa. Mas essa empresa, por ser nacional, não afeta tanto os investidores estrangeiros, que saíram em peso do mercado acionário brasileiro. A grande expectativa é em relação à Moody´s, e, principalmente, à S&P. Mercados brasileirosOs mercados no Brasil vêm apresentando volumes de negócios muito baixos, respondendo diretamente às variações nos preços do petróleo. Hoje, a Bovespa - Bolsa de Valores de São Paulo - fechou em alta de 0,48%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,020 % ao ano, frente a 17,090% ao ano ontem. O dólar fechou estável em R$ 1,8530.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.