Mercados: otimismo moderado

Hoje o presidente da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), Alí Rodriguez, declarou que os membros da organização elevarão sua produção à meia noite, pelo horário local em seus países. A produção total do grupo sofrerá aumento de 500 mil barris diários. Segundo decisão da organização, quando a cesta de produtos dos países-membros da Opep fica abaixo de US$ 22 ou acima de US$ 28 o barril por 20 dias é acionado um gatilho regulador da produção com o objetivo de manter os preços dentro desses limites.Os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em dezembro fecharam em alta de 0,19% em Londres, a US$ 31,14 por barril. O movimento ocorreu em parte porque os operadores acompanham a reunião da Organização das Nações Unidas, para decidir sobre a proposta do Iraque de alterar os recebimentos de suas exportações em euros ao invés de dólares. Caso a ONU rejeite a proposta, o Iraque poderá suspender suas exportações. O mercado também é sensível à evolução dos conflitos no Oriente Médio entre palestinos e forças armadas de Israel.Comportamento dos mercadosA tensão no mercado cambial da semana passada teve outro refluxo com o leilão de títulos cambiais realizado hoje pelo governo. Com isso, parte dos investidores preferiram os títulos ao dólar, que fechou em R$ 1,9130, com queda de 0,21%.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), por sua vez, fechou em alta de 1,36%, apesar da queda da Nasdaq. A Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em queda de 1,72%. A Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), no entanto, vem operando em altas expressivas desde o dia 18. Hoje não foi exceção. O Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na NYSE - fechou em alta de 2,23%.Também foi anunciado o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) outubro, que ficou em 0,384%, abaixo das expectativas do mercado. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,760% ao ano, frente a 17,890% ao ano ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.