Mercados: perspectivas para a próxima semana

As notícias argentinas continuarão a guiar os negócios no mercado financeiro na próxima semana. Os investidores mantêm as apostas de que as condições para a troca de títulos da dívida de curto prazo por papéis de período mais longo sejam anunciadas nas próximas horas ou, no máximo, em poucos dias.O fato é que o governo argentino vem ensaiando esse anúncio há vários dias e, como isso não acontece, os investidores frustram-se a cada oportunidade em que isso não ocorre. A alternância de humor dos investidores em relação à situação argentina provocou fortes oscilações no mercado financeiro nessa semana e, segundo os analistas, devem permanecer também nos próximos dias.Hoje, o ministro da Economia da Argentina, Domingo Cavallo, embarcará para os EUA para encontrar-se com investidores em Nova York. Além disso, participará de conferências em Boston e Washington. O objetivo da viagem, segundo o Ministério da Economia, é tentar aumentar a confiança dos investidores em relação à retomada do crescimento econômico da Argentina, que está em recessão há quase três anos.Para reforçar esse objetivo, o secretário de Finanças, Daniel Marx, e outras autoridades argentinas visitarão vários centros financeiros para tentar convencer os investidores sobre a operação de troca dos papéis da dívida do país. A expectativa é de que o total da troca seja de US$ 20 bilhões. Problemas argentinos vão alémSobre a nova carta de intenções do governo argentino com o Fundo Monetário Internacional (FMI), divulgada hoje, os analistas norte-americanos consideraram "irrealista" e de difícil cumprimento, segundo apurou o correspondente em Nova York, Fábio Alves. Um dos principais problemas é a projeção de crescimento de 2% a 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, que foi considerada muito otimista pelos analistas. Sem esse crescimento, é bem provável que a meta fiscal anual de US$ 6,5 bilhões, mantida no novo acordo com o FMI, seja novamente estourada pelo governo. Analistas consideram que, mesmo que as condições de troca dos papéis da dívida argentina sejam anunciadas, e que o mercado financeiro interprete de uma maneira mais positiva a carta de intenções, ainda é preciso que a economia do país dê sinais reais de que poderá retomar o crescimento econômico e que as contas do país fiquem mais equilibradas.Estados Unidos e questão política também influenciamA economia norte-americana também ficará no foco de atenções dos investidores na próxima semana. Os investidores estarão atentos à divulgação do Índice de Preços ao Produtor (PPI), referente a abril, que será divulgado na sexta-feira. As apostas de corte de juros nos Estados Unidos são cada vez maiores em função dos últimos números econômicos do país, sinalizando que o desaquecimento pode ser mais forte do que o esperado pelos analistas (veja mais informações no link abaixo). A próxima reunião do Banco Central dos Estados Unidos (Fed) acontece no dia 15 de maio e a expectativa é de que o corte de juros seja de 0,5 ponto porcentual, ou seja, de 4,5% para 4,0% ao ano.Em relação à questão política interna, permanecem as investigações sobre o envolvimento dos senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) no caso de violação do painel de votação do Senado no processo de cassação do ex-Senador Luis Estêvão. Mas os fatos relacionados à essa questão continuam com peso menor no mercado financeiro enquanto não prejudicam a imagem do presidente Fernando Henrique Cardoso.O fato preocupante é a possibilidade de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso para apurar denúncias de corrupção no Executivo federal. A oposição afirma já ter as assinaturas necessárias para pedir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), mas espera o melhor momento para fazê-lo, com um prazo para organizar manifestações de apoio. A primeira data cogitada foi o dia 9 de maio.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.