Mercados: perspectivas para a próxima semana

Na próxima semana, o cenário político interno deve permanecer no centro de atenção dos investidores, bem como a divulgação de vários índices de inflação. No cenário externo, além da preocupação com o ritmo da atividade econômica norte-americana, crescem as incertezas em relação a um possível ataque dos Estados Unidos ao Iraque.No cenário político interno, os investidores continuarão atentos ao resultado de pesquisas eleitorais. Na segunda-feira, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) divulgará o resultado da pesquisa sobre intenções de voto para a sucessão presidencial. A apuração foi feita pelo Instituto Sensus, em todo o País, nos dias 5 e 6 de setembro.Na próxima semana, espera-se também a divulgação do resultado de novas pesquisas - Vox Populi, Datafolha e Ibope. Analistas acreditam que o candidato do PSDB, José Serra, e o candidato do PPS, Ciro Gomes, saíram prejudicados do último debate realizado pela TV Record na segunda-feira passada. A percepção é de que o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, foi de fato quem conquistou mais votos. Para os investidores, o processo de sucessão presidencial, que vem influenciando os negócios no mercado financeiro desde abril, deve permanecer como principal foco de atenção no cenário interno. A grande preocupação, sob esse aspecto, é saber qual será a política econômica a ser adotada pelo próximo presidente da República.Enquanto isso, a equipe econômica do atual governo tenta manter a situação mais tranqüila. Na próxima semana, o ministro da Fazenda, Pedro Malan, viajará à Europa. Há reuniões marcadas com o vice-governador do Banco de España; investidores, empresários e banqueiros ingleses, além do ministro das Finanças francês, Francis Mer. O objetivo é reconquistar a confiança dos investidores estrangeiros.Índices de inflaçãoNa próxima semana, serão divulgados alguns índices de inflação referentes ao mês de agosto. Na segunda-feira, será divulgada a primeira prévia do Índice Geral dos Preços de Mercado (IGP-M). Na terça-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta o resultado fechado do mês de agosto. No mês passado, esse Índice ficou em 1,19% e a expectativa é de que, em agosto, o Índice acumule alta de 0,50%. Já a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulga a primeira prévia do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de setembro na quarta-feira. Os índices de inflação são importantes para a condução da política monetária. Isso porque a definição da taxa de juros é dada em função do cumprimento da meta inflacionária. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), a Selic, a taxa básica de juros da economia, foi mantida em 18% ao ano, com o viés de baixa, o que significa que o presidente do Banco Central (BC) pode reduzir a taxa antes da próxima reunião do Comitê, marcada para os dias 17 e 18 de setembro. Porém, diante do aumento das incertezas no cenário externo, e da tendência de alta das cotações do dólar, analistas acreditam que o viés de baixa não deve ser usado.Cenário externoNo cenário externo, crescem os temores em relação a um possível ataque norte-americano ao Iraque. A semana já terminou em clima de forte preocupação com o ataque, ontem no final da tarde, de aviões norte-americanos e britânicos contra instalações de defesa antiaérea do Iraque. Os bombardeios aconteceram na chamada zona de exclusão aérea - regiões do espaço aéreo iraquiano em que a Força Aérea do Iraque não pode operar. Essa incerteza provocou também a alta do preço do petróleo, o que é uma preocupação para a economia de todos os países. O presidente George W. Bush está buscando apoio interno e externo para a invasão do Iraque. No sábado, ele se encontra com o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, e na segunda-feira, com o canadense, Jean Chrétien, que já deram declarações a favor do ataque. Ontem ele falou ao telefone com os líderes da França, China e Rússia, todos com poder de veto no Comitê de Segurança das Nações Unidas. Mas nenhum deles apóia Bush. A imprensa norte-americana também aponta várias operações logísticas que indicariam uma preparação para uma guerra no Golfo Pérsico.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.