Mercados reabrem na Islândia após colapso de bancos

Índice cai 76% por conta de 'anomalia'; maiores bancos se ausentam de pregão.

Da BBC Brasil, BBC

14 Outubro 2008 | 10h42

As bolsas na Islândia voltaram a operar nesta terça-feira pela primeira vez desde a suspensão dos pregões, na última quinta-feira. O índice da bolsa de Reykjavík abriu em queda de 76% por conta de uma anomalia estatística provocada pela ausência dos três principais bancos do país nos negócios. As ações dos bancos respondem por 76% dos papéis negociados na bolsa, mas esses bancos ainda não estariam prontos para retornar ao mercado. Sem considerar a anomalia, o índice teve leve alta nas primeiras horas de operação. A Islândia ainda está se recuperando da crise que atingiu o sistema bancário do país. Segundo o correspondente da BBC em Reykjavík Clive Myrie, é preciso que mais medidas sejam tomadas para ajudar o setor bancário e o governo está tentando garantir empréstimos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Rússia. Impacto As dificuldades enfrentadas pelo setor bancário islandês têm um impacto forte em outros países europeus, já que as taxas de juro do país atraíram grandes investidores estrangeiros. Subprefeituras e outros órgãos públicos do Reino Unido têm cerca de 1 bilhão de libras (R$ 3,5 bi) investidos na Islândia, e centenas de milhares de poupadores britânicos também foram afetados pela crise no sistema bancário do país. O governo britânico continua trabalhando com as autoridades islandesas para garantir que os investidores recebam seu dinheiro de volta o mais rápido possível. O Tesouro britânico afirmou que o dinheiro dos poupadores britânicos está protegido. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.