Mercados reabrem nos Estados Unidos

Assim como os analistas já previam, o Banco Central dos Estados Unidos (Fed) reduziu os juros antes da reunião marcada para o dia 2 de outubro. O corte de 0,5 ponto porcentual foi anunciado no início desta manhã, antes da abertura das bolsas de Nova York, e levou os juros para 3,0% ao ano. As bolsas em Nova York reabrem depois de quatro dias sem funcionamento. Grandes empresas anunciaram que pretendem recomprar suas ações, evitando uma queda muito forte dos preços. O banco Morgan Stanley, por exemplo, vai usar até US$ 1 bilhão na recompra dos seus papéis. De qualquer forma, a expectativa dos analistas é de que, mesmo com o corte dos juros e a ação das empresas, o mercado acionário norte-americano opere do lado negativo durante os próximos dias, influenciado pela perspectiva de desaquecimento forte da economia mundial, com risco de recessão.Nos primeiros minutos de funcionamento, o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - estava em queda de 0,54% e a Nasdaq - bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - registrava baixa de 6,10%.Veja os mercados no BrasilO dólar comercial para venda está cotado a R$ 2,6690, com alta de 0,22%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 24,850% ao ano, frente a 25,120% ao ano na sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 0,56%.Não deixe de ver no link abaixo as perspectivas para a semana no mercado financeiro e as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

17 de setembro de 2001 | 10h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.