Mercados: reação ao Copom deve ser pequena

A decisão de um corte de juros na Selic, a taxa básica de juros da economia, não era esperada pelos analistas e pode provocar uma reação pontual nos mercados hoje, dado que a redução de 0,25 ponto porcentual é considerada muito pequena para mexer de forma expressiva com o preço dos ativos. Com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), a Selic passou de 19% ao ano para 18,75% ao ano.No mercado de juros, as taxas já vinham caindo. Nesta quinta-feira, após analisar a decisão do Comitê, as taxas poderão permanecer estáveis, só voltando a cair quando os índices de inflação derem sinais mais claros de que estão recuando.Para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), um corte de 0,25 ponto porcentual é considerado muito pequeno. Poderá haver um movimento maior de recursos para a Bolsa, mas esta é uma conseqüência apenas pontual, pois uma recuperação significativa dos negócios depende, principalmente, de uma redução expressiva dos juros reais. Além disso, os investidores que compram ações enfrentam outros obstáculos, como a incidência da Cobrança Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e a alta alíquota de Imposto de Renda (IR) (veja mais informações nos links abaixo).No mercado cambial, o impacto da redução da Selic também deve ser muito reduzido, segundo os analistas. Neste segmento, o fluxo de recursos tem apresentado peso muito maior. Como este fluxo tem sido positivo, as cotações do dólar têm permanecido estáveis. Veja mais informações sobre a decisão do Copom - repercussão com analistas, juros ao consumidor e investimentos - nos links abaixo.Permanecem incertezas com ArgentinaOntem o dia foi marcado por protestos na Argentina. O aumento da pobreza, o crescimento do desemprego e a disparada no preço dos produtos da cesta básica, além das restrições aos saques bancários que já motivaram outras manifestações, levaram a população às ruas de Buenos Aires. No mercado financeiro argentino, o dólar ultrapassou a barreira dos 2 pesos e chegou ao patamar de 2,20 pesos. Nos últimos cinco dias, a desvalorização da moeda argentina foi de 12,8% (veja mais informações no link abaixo).Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.