bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Mercados: reações positivas a notícias internas

Os mercados reagiram positivamente à alteração na meta de inflação para 2003 e 2004. No próximo ano, a meta passa de 3,25% para 4%, com margem de tolerância de 2,5 pontos porcentuais para cima ou para baixo. Para 2004, a meta foi fixada em 3,75% e a margem de tolerância volta a ser de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. A decisão foi anunciada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) hoje, por volta de 14h, mas os investidores já vinham esperando por alguma alteração nesse sentido nos últimos dias. Com a flexibilização das metas de inflação, o Banco Central (BC) terá mais liberdade para usar o viés de baixa, decidido na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). O Comitê definiu a manutenção da Selic, a taxa básica de juros da economia, em 18,5% ao ano, com possibilidade de redução da taxa antes da próxima reunião do Comitê, o que caracteriza o viés de baixa. A notícia estimulou a queda dos juros no mercado futuro, já que começa a se cogitar a redução da Selic. Os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros, pagam taxas de 23,900% ao ano, frente a 24,950% ao ano ontem. Já os contratos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 28,700% ao ano, frente a 29,900% ao ano ontem. No mercado cambial, o dólar está cotado a R$ 2,8770 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,17%.Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a possibilidade de redução dos juros estimulou a valorização das ações. Às 15h, o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações na Bovespa - registra alta de 2,17%. O volume financeiro, de R$ 215,2 milhões, indica para o encerramento do pregão giro ao redor de R$ 500 milhões.De qualquer forma, o humor dos investidores continuará sendo influenciado pelos resultados das pesquisas eleitorais no Brasil. No sábado está prevista a divulgação de uma nova pesquisa do Ibope, encomenda pela corretora Ágora Sênior. Além disso, a Bolsa estará muito sensível ao desempenho dos mercados de ações nos EUA, que passam por uma grave crise de confiança, com os investidores avessos a riscos.Mercados internacionaisEm Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 1,11%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - opera com alta de 1,32%. Na Argentina, o índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires opera com queda de 0,82.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.