Mercados reagem a sinais positivos com cautela

A melhora das bolsas norte-americanas e a trégua de notícias desfavoráveis na Argentina deram um pouco de alívio nos mercados durante a manhã. Há pouco, a Nasdaq - bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - estava em alta de 1,40%. O índice Dow Jones - que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - estava em alta de 2,25%.O resultado positivo no cenário acionário norte-americano foi favorecido pela divulgação do índice nacional de atividade industrial (NAPM) referente ao mês de agosto. O resultado, apresentado pela Associação Nacional dos Gerentes de Compras dos EUA, mostrou recuperação da atividade industrial, embora continue em retração. O índice subiu de 43,6 para 47,9 no mês passado, surpreendendo dos analistas, que esperavam por um número em 44,0.Na Argentina, apesar dessa melhora na arrecadação, os analistas consideram que ainda é muito cedo para falar em retomada do crescimento econômico no país vizinho. Em entrevista à correspondente em Buenos Aires, Marina Guimarães, o analista Hernán Fardi, da consultoria Maxinver, disse que é preciso ver como ficará a visão dos investidores estrangeiros em relação à saúde financeira do país. Segundo ele, isso será percebido nos próximos dias no preço dos principais títulos da dívida externa do país, os FRBs. Há pouco, eles estavam cotados a 77,750 centavos por dólar, com valorização de 1,57% em relação aos últimos negócios de ontem.Veja como está o mercado financeiroNo início da tarde, o dólar comercial estava cotado em R$ 2,5650, com queda de 0,04% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 22,790% ao ano, frente a 23,110% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 0,72%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.