Mercados recuperam parte das perdas registradas ontem

O mercado financeiro recupera parte das perdas registradas ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que ontem fechou o dia em 17.604 pontos, chegou à máxima do dia às 12h31, em 18.509, registrando uma alta de 5,14% em relação ao patamar de encerramento dos negócios da segunda-feira. No mercado cambial, o dia também é de recuperação. A moeda norte-americana opera em queda frente ao real durante todo o dia. O dólar iniciou o dia em R$ 3,1310 e chegou à máxima de R$ 3,1360, abaixo do patamar de fechamento apurado ontem em R$ 3,1400. Às 12h24, chegou à cotação mínima, em R$ 3,0960, queda de 1,40% em relação ao encerramento das operações na segunda-feira. O risco Brasil ? taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro na capacidade de pagamento da dívida do país ? também está em queda. Depois de fechar em 808 pontos base ontem, a taxa está em 766 pontos base hoje, às 12h30. Quanto maior esta taxa, maior a desconfiança do investidor estrangeiro e maior o prêmio exigido para a negociação dos títulos brasileiros. Mercados internacionaisNos Estados Unidos, o índice Dow Jones ? que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York ? operava em alta de 0,48% no final da manhã e a Nasdaq ? bolsa que negocia ações de tecnologia e Internet ? estava em alta de 1,85%.O alívio nos mercados internacionais, principalmente do Brasil, trouxe a calma também para a Bolsa de Buenos Aires que registrava uma alta de 3,7%, com 956 pontos, em seu índice Merval, no final desta manhã. Com um baixo volume de 9,5 milhões de pesos, 31 papéis operam em alta, dois sem mudanças e nenhuma baixa.Nesta terça-feira, o J.P. Morgan elevou sua recomendação para a dívida do México de neutro para overweight (acima da média da carteira de investimentos). O banco citou o bom valor relativo desses ativos e a melhora nos fundamentos do país. Na Turquia, o Banco Central interveio duas vezes no mercado para conter a depreciação da lira em relação ao dólar. Segundo uma agência de informações financeiras, a atuação do BC conseguiu manter a demanda por bônus locais. Ao mesmo tempo, o BC turco disse que irá oferecer moeda estrangeira aos bancos com taxas mais baixas, provocando queda no juro para empréstimos.No começo do dia, o primeiro-ministro da Turquia disse que o governo está determinado a manter a disciplina fiscal e o superávit primário elevado para reduzir o nível da dívida pública. Ele sugeriu também que o país poderá estender o acordo com o FMI para além de fevereiro, quando expira o atual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.