Mercados: resumo da semana

A semana foi mais curta para os mercados brasileiros por causa do carnaval. Os negócios só começaram a partir de meio-dia de quarta-feira. Ainda assim, as notícias dos Estados Unidos agitaram as bolsas no mundo e causaram quedas na Bovespa logo depois da abertura.Ao longo da semana foram divulgados vários dados sobre a economia norte-americana. De todos, o que teve mais destaque foi o índice de confiança do consumidor, que ficou no nível mais baixo desde junho de 1996. O baixo valor do ICC motivou declarações do presidente do FED - banco central norte-americano -, Alan Greenspan, indicando que haverá novo corte das taxas de juros básicos, atualmente em 5,5%, mas não antes da próxima reunião mensal do órgão, dia 20 de março.A expectativa de queda nos juros, porém, reflete, para o mercado, a apreensão em relação à forte desaceleração da economia dos EUA. As bolsas vêm reagindo com quedas à situação econômica norte-americana. No Brasil, os mercados passaram a ignorar o pessimismo dos investidores nos Estados Unidos na quinta-feira, quando foram divulgados os números da balança comercial de fevereiro, surpreendentemente favoráveis. O superávit do mês foi de US$ 80 milhões, o melhor desde agosto do ano passado, reduzindo o déficit do ano para US$ 399 milhões. Na semana que entra, o Banco Central divulgará os resultados da balança por setores, o que possibilitará uma análise mais cuidadosa para esclarecer qual dos dois foi uma anomalia, o déficit de janeiro ou o superávit de fevereiro. De qualquer forma, os mercados comemoraram com altas na Bovespa e quedas no dólar e juros.MercadosA Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) apresentou altas significativas desde 21 de fevereiro, acumulando valorização de 6,34%. Já o dólar, registrou altas de 9 de fevereiro (quando estava cotado a R$ 1,9820) a 28 de fevereiro (atingindo a máxima de R$ 2,0470), mas apresentou quedas nos dois últimos dias da semana. Os juros vêm oscilando nas últimas semanas sem se distanciar muito dos atuais patamares.Nos Estados Unidos, a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - vem acumulando queda desde 30 de janeiro. Desde então, já caiu 25,4%. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - vem oscilando no mesmo patamar desde 22 de fevereiro.Veja abaixo as cotações de fechamento da semana: segunda-feiraterça-feiraquarta-feiraquinta-feirasexta-feiraBovespa (variação)---1,65%+3,30%+1,01%Dólar (cotação)--R$ 2,0470R$ 2,0410R$ 2,0280Juros (DI a termo ao ano)--16,450%16,280%16,140%Nasdaq (variação)+2,03%-4,36%-2,54%+1,47%-3,01%Dow Jones (variação)+1,92%-0,05%-1,33%-0,43%+0,16%Dia-a-dia:Segunda-Feira (26/02)Dados norte-americanos confirmam o desaquecimento da economia. Analistas acreditam que o FED pode cortar juros antes da próxima reunião no final de março. Já a Argentina, outro foco de atenção, voltou a preocupar. Terça-Feira (27/02)Os mercados brasileiros não abriram devido ao carnaval, mas o noticiário internacional foi pessimista, com um dia bastante agitado nas bolsas do mundo. Pela manhã foram divulgados dois indicadores nos Estados Unidos que aumentaram o pessimismo dos mercados. O índice de confiança do consumidor ficou no nível mais baixo desde junho de 1996 e as encomendas de bens duráveis de janeiro apresentaram queda de 6,0%. Quarta-Feira (28/02)Os mercados brasileiros puderam reagir ao noticiário intenso dos últimos dias no exterior, em especial nos Estados Unidos. A divulgação, ontem, do índice de confiança do consumidor norte-americano, que ficou no nível mais baixo desde 1996 entre outros índices, como o de venda de imóveis usados em janeiro, com queda de 6,6%, confirmam a forte desaceleração da economia e pessimismo generalizado.Quinta-feira (01/03)Ainda continua o clima de apreensão com o comportamento da economia dos Estados Unidos, que apresenta forte desaceleração, e da Argentina, agravada por escândalos políticos e frustração contínua das metas econômicas. Mesmo assim, os dados sobre a balança comercial de fevereiro divulgados à tarde animaram os mercados brasileiros.Sexta-feira (02/03)Prosseguem os bons ventos trazidos pelos números positivos do saldo da balança comercial. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) seguiu em alta, com forte queda no dólar e nos juros. A falta de más notícias dos Estados Unidos também abriu espaço para um movimentos mais otimistas dos investidores. Mas os mercados norte-americanos oscilaram muito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.