Mercados retraídos e atentos à Argentina

Os investidores aguardam apreensivos o fim do feriado bancário e cambial na Argentina. Mas, segundo apurou a correspondente Marina Guimarães, a diretoria do Banco Central argentino estuda a manutenção do feriado para amanhã, quando os negócios voltariam a operar normalmente. Uma das principais incertezas é o comportamento do dólar na estréia da flutuação do peso e a reação da população argentina às medidas econômicas. Uma disparada da moeda norte-americana, acima de 3 pesos, pode colocar em risco o novo plano econômico. Há temores também sobre a volta da inflação, sobre um possível colapso bancário em função do descasamento entre ativos e passivos e sobre a delicada situação de conflito entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.O mercado financeiro no Brasil mantém o clima de cautela. Às 15h13, o dólar comercial era vendido a R$ 2,4260 - estável em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em alta de 0,05%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 19,33% ao ano, frente a 19,43% ao ano ontem. Internamente, além da divulgação de mais um índice de inflação nesta manhã - que veio dentro do esperado pelos analistas, mas ainda revelando pressão de alta sobre os preços (veja mais informações no link abaixo) -, as notícias trouxeram o balanço dos investimentos externos em janeiro. A Bovespa perdeu no mês passado R$ 97,375 milhões, resultado de compras no valor de R$ 2,742 bilhões e de vendas de R$ 2,840 bilhões. Muito mais sintomático do que o volume em si é a constatação de que a Bolsa não está conseguindo atrair a atenção dos investidores estrangeiros.Mercados norte-americanosEm Nova York, depois da queda expressiva de ontem, as bolsas norte-americanas também tiveram uma manhã com muitas oscilações. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - estava em alta de 0,18%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registrava queda de 0,24%. O contexto para o comportamento das bolsas norte-americanas continua sendo a preocupação com a recuperação da economia e com a veracidade das informações contábeis prestadas pelas empresas em seus balanços. O secretário do Tesouro, Paul O´Neill, manifestou essa mesma preocupação esta manhã em seu discurso no Senado ao destacar que a transparência das empresas é essencial para os investidores e que o governo procura uma maneira de melhorar essa transparência.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.