Mercados: ritmo cai à espera de dados nos EUA

O volume reduzido de negócios no mercado financeiro revela que os investidores estão em compasso de espera. Amanhã será divulgado o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) e, depois do resultado do Índice de Inflação ao Produtor (PPI) divulgado na sexta-feira, que registrou um número acima do esperado, os investidores voltaram a se preocupar com a economia dos Estados Unidos. Na primeira parte do pregão, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou um volume de R$ 291 milhões. Há pouco, a Bolsa estava em queda de 0,27%. O dólar comercial está cotado a R$ 2,0090 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,25% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 16,270% ao ano, frente a 16,240% ao ano registrados ontem. A inflação nos Estados Unidos novamente preocupa, pois indica o ritmo do desaquecimento da economia norte-americana. O banco central dos Estados Unidos (FED) começou a cortar as taxas de juros no início do ano, pois acreditava-se que o risco de alta da inflação já havia sido afastado. Os juros caíram de 6,5% ao ano para 5,5% ao ano em um mês. O resultado indicando uma pressão de alta sobre os preços pode interromper o corte dos juros e diminuir o ritmo de redução das taxas também no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.