Mercados se recuperam, mas ainda há desconfiança

Os principais mercados asiáticos se recuperaram nesta quarta-feira após cinco dias seguidos de quedas, e o preço do petróleo se valorizou ante expectativas de cortes de produção. Apesar disso, o humor continuou cauteloso devido a preocupações sobre a economia e resultados de empresas. Dados econômicos fracos e perspectivas ruins para resultados trimestrais impediram o que se mostrava ser um começo de ano promissor, apesar da corrente contínua de vendas de novos títulos corporativos pelo mundo apontarem alguma disposição dos investidores em correr risco. "Nós sabemos que a perspectiva é péssima, mas sabemos que o mercado precificou um cenário muito ruim. Então você tem este cabo de guerra que ocorre entre as más notícias e as avaliações muito depreciadas", disse Lee Mickelburough, parceiro na Perennial Growth Management, da Austrália. O índice MSCI das principais ações asiáticas com exceção do Japão tinha alta de 1,5 por cento às 7h45 (horário de Brasília), ensaiando recuperação após perdas de 9 por cento sofridas nas cinco sessões anteriores. O índice continua a registrar queda de 2,5 por cento no ano. Resultados corporativos estão sendo atingidos por todo o mundo, acarretando corte de empregos que poderão futuramente enfraquecer os gastos do consumidor. A Coreia do Sul sofreu sua primeira perda mensal de empregos em mais de cinco anos em dezembro, mostraram dados nesta quarta-feira. O principal índice da bolsa de SEUL se valorizou em 1,3 por cento. Algumas companhias talvez tenham de cortar dividendos para conservar capital. O conglomerado australiano Wesfarmers informou nesta quarta-feira que está considerando tal opção, o que fez com que suas ações despencassem 2,9 por cento. A bolsa de SYDNEY fechou em alta de 0,9 por cento. Ações asiáticas registraram altas em sua maioria nesta quarta-feira, impulsionadas por investidores que viram que fortes quedas recentes em ações como Sony foram superadas. O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, avançou 0,3 por cento, recuperando-se de queda próxima a 5 por cento na véspera. Conversas de vendas de ativos e aquisições impulsionaram algumas ações. Nissan se valorizou 3,5 por cento, após fontes terem dito à Reuters que a Chrysler está em negociação para vender ativos estratégicos à Renault-Nissan e à fornecedora automotiva Magna. Notícias de que a Toshiba está em conversas para adquirir o segmento de discos rígidos da Fujitsu em um negócio informado como tendo valor entre 340 e 450 milhões de dólares fez com que ambas ações subissem mais de 5 por cento. HONG KONG subiu 0,3 por cento, enquanto XANGAI teve salto de 3,5 por cento. CINGAPURA teve valorização mais modesta, 0,16 por cento, enquanto em TAIWAN, houve desvalorização de 0,24 por cento.

RAFAEL NAM, REUTERS

14 de janeiro de 2009 | 08h12

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.