Mercados temem reações sociais na Argentina

O mercado financeiro continua atento ao cenário externo e o destaque continua sendo a Argentina. A novidade mais importante vinda esta manhã do país vizinho, na avaliação dos operadores, é a de que todos os depósitos da população serão devolvidos em pesos. Isso seria a primeira quebra de uma promessa feita pelo governo de Eduardo Duhalde, que tinha declarado que os depósitos seriam devolvidos na moeda correspondente, dizem os analistas. Teme-se uma reação da população argentina a esta mudança.Números da economia norte-americana divulgados nesta manhã foram bem recebidos pelos mercados. O aumento dos ganhos semanais e a queda dos estoques foram considerados animadores, já que há muita preocupação em relação à desaceleração da economia dos Estados Unidos.Veja os números do mercado financeiroÀs 15h08, a moeda norte-americana era vendida a R$ 2,3740, em baixa de 0,04% em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em alta de 1,26%. No mercado de juros, os contratos de swap (troca) de juros prefixados por pós-fixados com prazo de um ano pagam juros de 20,87% ao ano, frente a 20,86% ao ano ontem.As bolsas americanas estão em queda. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com baixa de 1,21%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - negocia com queda de 1,81%. Na Argentina, a bolsa permanece fechada.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.