Mercados: tensão diminui mas cautela permanece

O nervosismo de ontem no mercado financeiro, quando o dólar chegou a ser negociado a R$ 2,549 e o risco País bateu os 1007 pontos, deve diminuir em função do leilão de NTN-D (títulos cambiais) de curto prazo, com vencimento em 20 de novembro deste ano a ser realizado hoje pelo Banco Central. Há pouco, o dólar comercial estava sendo cotado a R$ 2,5230, em queda de 0,24% em relação ao fechamento de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro, com vencimento em janeiro, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagam taxas de 18,950% ao ano frente aos 19,030% ao ano negociados sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em alta de 0,33%.A grande procura por dólar no mercado à vista ocorrida ontem foi motivada para compensar as perdas apuradas pelos investidores que tinham em suas carteiras os contratos de FRA, negociados na BM&F, em virtude da elevação do cupom cambial - taxa de juros no mercado interno descontada a variação do câmbio. Essas perdas ocorreram porque os investidores compraram títulos indexados a um cupom cambial mais baixo do que o negociado nos últimos dias. Ou seja, houve uma diminuição do valor da carteira deste investidores. E para compensar esta perda, eles tiveram que buscar o dólar no mercado à vista.Com relação ao cenário político, a expectativa do mercado é de que haja uma melhora da posição do pré-candidato do PSDB, José Serra, nas pesquisas eleitorais após a escolha de Rita Camata como vice e também devido a uma maior exposição do tucano na TV.O fato de hoje ser sexta-feira e de vários mercados nos EUA encerrarem os negócios mais cedo por causa do feriado do Memorial Day, segunda-feira, deve ajudar a diminuir a liquidez. Além disso, a semana que vem no Brasil será mais curta no Brasil por causa do feriado de Corpus Christi, na quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.