Mercados tranqüilos apesar da crise

Na véspera do feriado, os mercados operaram com poucas variações e pequeno volume de negócios. O ambiente foi de maior tranqüilidade, com as cotações recuando um pouco do pessimismo dos últimos dias. Aparentemente, o mercado não está dando muita importância à crise política iniciada pelas declarações do senador Antônio Carlos Magalhães à imprensa ontem. Até a instabilidade internacional parece já ter sido antecipada nos movimentos dos investidores nos últimos dias. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,59%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 16,250% ao ano, frente a 16,350% ao ano ontem. O dólar fechou em R$ 2,0370, com queda de 0,34%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 0,83%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em alta de 0,67%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.