Mercados tranqüilos: Bolsa sobe e dólar recua

A tranqüilidade permaneceu nos mercados durante a manhã. Os investidores gostaram da notícia de que a Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE) prevê um aumento de 19,9% nas tarifas de energia no próximo ano. Este aumento é menor do que a perspectiva anunciada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), em sua reunião do mês passado. Com um aumento menor nas tarifas de energia, a pressão sobre os índices de inflação também deve ser menor, o que abre a possibilidade de os juros voltem a cair. Na reunião que começa hoje e termina amanhã após o fechamento dos mercados, a expectativa dos analistas é de manutenção da Selic, a taxa básica de juros da economia. A Selic está em 19% ao ano e, segundo já sinalizou o Banco Central, ela só deve recuar quando a pressão sobre a inflação diminuir. No cenário externo, um dado divulgado nos Estados Unidos também contribuiu para que os negócios permanecessem em clima de tranqüilidade. Foi verificado um aumento de 8,2% das construções residenciais novas iniciadas em novembro nos EUA, contra uma estimativa de queda de 0,8%. O dado é importante, pois sinaliza o ritmo da atividade econômica norte-americana - fator considerado pelos analistas como o de maior relevância no cenário externo. Veja os números do mercado financeiro Às 15h03, o dólar comercial era vendido a R$ 2,3430, em queda de 0,55% em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 1,86%. No mercado de juros, os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 20,270% ao ano, frente a 20,460% ao ano registrados na sexta-feira. O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires está em alta de 0,01%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 0,65%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 0,33%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

18 Dezembro 2001 | 15h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.