Mercados vêem pacote nos EUA em breve e Bovespa sobe 6%

O principal indicador da Bolsa deValores de São Paulo fechou a sexta-feira em forte alta,acompanhando a expectativa global de que o pacote de estímulo àeconomia norte-americana terá um esboço já na semana que vem. Além disso, os mercados externos repercutiram a crença emum plano de socorro às combalidas seguradoras de bônus. O Ibovespa avançou 5,95 por cento, para 57.463 pontos. Nesse nível, o indicador fica praticamente no zero a zeroquando comparado ao fechamento da semana passada, depois damontanha-russa de cair 6,6 por cento na segunda-feira, subir4,5 por cento na terça e recuar outros 3,3 por cento naquarta-feira. "Acho que os investidores foram encorajados pelo fato deque (os congressistas) apareceram com um acordo preliminar demaneira rápida", afirmou Angel Mata, diretora-gerente daempresa de transações com ações Stifel Nicolaus CapitalMarkets, em Baltimore. Nos Estados Unidos, a alta das bolsas de valores era maiscontida e, a poucos minutos do fechamento, o Dow Jones subia0,8 por cento. Mas Wall Street teve um rali no final daquarta-feira, quando a bolsa paulista já estava encerrando opregão. A Casa Branca confirmou ter chegado a um acordo preliminarcom o Congresso sobre o pacote e mais detalhes foramdivulgados. Segundo o secretário do Tesouro norte-americano, HenryPaulson, cheques de restituição poderão ser enviados a 117milhões de pessoas dentro de 60 dias após a aprovação e, comisso, espera-se que os consumidores possam ajudar a sustentar aeconomia. VALE No Ibovespa, as ações ordinárias da Vale foram as que maissubiram: 11,4 por cento, para 50,12 reais. O governo brasileiro é contra o plano da Vale de comprar aanglo-suíça Xstrata, segundo um funcionário de alto escalão. Segundo a fonte, o governo pretende instruir o BNDESPar e aPrevi, membros do grupo de acionistas controladores dacompanhia, a votar contra o acordo. O volume financeiro na bolsa paulista foi de 6,47 bilhõesde reais. A Bovespa não opera nesta sexta-feira devido aoferiado de aniversário de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.