Mercados viram à tarde e ficam mais pessimistas

Depois do forte pessimismo de ontem, os mercados abriram hoje em recuperação, que se estendeu até a hora do almoço. À tarde, porém, os ânimos mudaram e o dólar retomou as cotações de fechamento de ontem, e os juros voltaram a subir, embora ficassem ainda abaixo dos patamares do dia anterior. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) também reduziu muito a sua alta. As oscilações são muito intensas e a frustração dos investidores com os fracos resultados das empresas nos Estados Unidos, afetadas pela desaceleração econômica, continuam. O clima em relação à Argentina também é de tensão, pois, apesar das negativas da equipe econômica, os sinais são de que o governo está buscando fontes de financiamento no exterior.O dólar fechou em R$ 2,1750, praticamente estável com queda de 0,05%. A Bolsa fechou em alta de 0,86%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 19,550% ao ano, frente a 19,760% ao ano ontem. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 0,31%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em queda de 2,04%.

Agencia Estado,

04 de abril de 2001 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.