Mercados voltam a registrar nervosismo

A diminuição da instabilidade no mercado financeiro ontem, provocada pela troca - ainda não oficial - de comando no Banco Central argentino, não durou muito. Os investidores ainda aguardam medidas concretas para os problemas econômicos na Argentina - capacidade de honrar dívidas e retomar o crescimento econômico. Enquanto isso não acontece, cresce a instabilidade no mercado financeiro. Os papéis da dívida argentina (FRBs) voltam a registrar queda nessa manhã e há pouco eram cotados a 74,750 centavos por dólar - queda de 2,25% em relação aos últimos negócios de ontem. Os títulos da dívida brasileira (C-Bonds) seguem a mesma tendência. No início da manhã estavam em 72,750 centavos por dólar - queda de 1,188% em relação ao fechamento de ontemNo mercado financeiro interno, o dia começou em forte instabilidade. A alta das taxas de juros é muito acentuada nessa manhã. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 24,300% ao ano, frente a 22,750% ao ano ontem. Segundo apurou a editora Rosa Riscala, executivos das mesas de operações dos bancos consideram que, em uma ação emergencial, a taxa básica de juros (Selic) pode subir dos atuais 16,25% para 25% ao ano.O dólar comercial começou o dia cotado a R$ 2,2990 e há pouco era vendido a R$ 2,3050 - alta de 1,72% em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 1,55%.A crise política interna também é foco de atenções para os investidores. Espera-se para amanhã o depoimento do senador Antonio Carlos Magalhães. Até lá, a perspectiva de novos fatos negativos que agravem ainda mais o cenário político podem deixar os negócios ainda mais instáveis. Veja mais informações sobre a crise na Argentina e o quadro político interno no link abaixo.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.