Merck aceita pagar US$4,85 bilhões em acordo sobre Vioxx

A farmacêutica Merck informou nestasexta-feira que aceita pagar 4,85 bilhões de dólares paraacabar com processos judiciais em torno da suspeita de que oantiinflamatório Vioxx, fabricado por ela, provocou ataquescardíacos e derrames cerebrais em milhares de usuários. O acordo vale para ações judiciais iniciadas contra aempresa nos EUA, colocando ponto final em uma grande batalhajurídica que custou à fabricante um terço do seu valor demercado em 2004. Em setembro daquele ano, a Merck retirou do mercado opopular antiinflamatório, cujas vendas rendiam 2,5 bilhões dedólares ao ano, após um estudo mostrar que o medicamentodobrava as chances de ocorrer um ataque cardíaco ou um derramecerebral em pacientes que o usassem por mais de 18 meses. No acordo, assinado por escritórios de advocacia dacomissão diretora da demanda federal sobre o Vioxx e porrepresentantes do conselho dos reclamantes nos procedimentosestaduais, a Merck não admite que o Vioxx provocou danos apacientes ou que tenha cometido qualquer erro. A farmacêutica, cujas ações devem subir com a notícia doacordo, disse que registraria como prejuízo os 4,85 bilhões dedólares a serem gastos para dar fim a vários processos. A manobra representa uma mudança de estratégia por parte daMerck, que tinha se proposto a discutir o Vioxx caso a caso emvez de selar um acordo amplo. "O acerto foi estruturado de forma a prover um grausignificativo de certeza quanto a resolver, por meio dopagamento de um montante determinado, a maior parte das açõesde indenização referentes ao Vioxx nos EUA", disse RichardClark, presidente, presidente do conselho administrativo ediretor-executivo da Merck. A empresa ainda precisa se defender em todos os casos nãoincluídos no acordo. Clark notou que o processo em torno do remédio deemagrecimento Phen-Fen, da Wyeth, só agora se aproxima dofinal, depois de dez anos de batalhas judiciais e mais de 21bilhões de dólares em custos envolvendo um acordo. Desde a retirada do Vioxx dos mercados, a Merck venceu 11processos referentes ao remédio e perdeu cinco. A empresaapelou das sentenças desfavoráveis a ela. As ações da Merck caíram com a notícia da retirada do Vioxxdo mercado, em 2004, perdendo mais de um terço de seu valor.Mas as vitórias nos tribunais e uma série de novos medicamentosbem-sucedidos fizeram com que as ações se recuperassem dasperdas. Neste ano, essas ações, mesmo com os processos envolvendo oVioxx, saíram-se melhor do que as de outras empresas do ramo noAmerican Stock Exchange (Amex) para o setor farmacêutico,subindo 25 por cento. O Amex quase não variou no período. As ações da Merck eram negociadas a 55,50 dólares emnegócios feitos antes da abertura do pregão, contra 54,77dólares no fechamento de quinta-feira da Bolsa de Nova York. Ospapéis ficavam, assim, um pouco abaixo do recorde dos últimosquatro anos, de 58,36 dólares, atingido no começo deste mês. (Por Edward Tobin)

REUTERS

09 de novembro de 2007 | 13h28

Tudo o que sabemos sobre:
FARMACEUTICAMERCKVIOXX

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.