finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Merck retira do mercado o analgésico Vioxx

A gigante farmacêutica Merck & Co. está retirando do mercado em todo o mundo um de seus remédios mais vendidos, o Vioxx, um analgésico usado no tratamento de artrite. A decisão foi tomada com base em novos testes clínicos que apontam um aumento no risco de enfarte e derrame.A suspensão da comercialização do Vioxx deve elevar o prêmio de risco do setor farmacêutico. A decisão voluntária da Merck mostra que mesmo drogas aprovadas não estão isentas de riscos.A retirada do Vioxx relembra o caso do Baycol, da Bayer, e deve deixar o Food & Drug Administration (FDA), órgão regulador do mercado de medicamentos e alimentos nos EUA, mais cauteloso quanto a aprovação de novos medicamentos, como o Prexige, antiinflamatório da classe dos inibidores específicos da COX 2 da Novartis.Segundo informações da Dow Jones, os papéis da Merck caíam mais de 26% após o anúncio. Entre outras farmacêuticas com ações negociadas na Europa, a Altana caía 0,1%; a Bayer 0,4% e a Schering subia 0,1%. Já a Pfizer, fabricante do concorrente Celebrex (Celebra, no Brasil), subiu 0,90%.Um estudo recente da FDA sugere que os pacientes que tomaram Vioxx tinham 50% mais chance de sofrer um ataque cardíaco e morte súbida que os pacientes tratados com o Celebra.A Merck anunciou a retirada do medicamento antes da abertura da Bolsa de Nova York mas com o início dos negócios, as ações da empresa já caíram 27%.

Agencia Estado,

30 de setembro de 2004 | 12h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.