Mercosul cobra ?clareza? em novas propostas da UE

O Mercosul defendeu que o bloco sul-americano e a União Européia apresentem por completo suas propostas melhoradas para as negociações de uma área de livre comércio transatlântica. Hoje, segundo dia de conversas em Brasília, o negociador-chefe do Mercosul, Régis Arslanian, disse que essa é a única maneira de haver um acordo equilibrado.?Chegou o momento de termos sobre a mesa claramente todo o pacote de melhorias do lado europeu e nos dispomos a colocar sobre a mesa todo o nosso pacote de melhorias. Se nós não tivermos um equilíbrio nessa fase da negociação, fatalmente chegaremos a um acordo também não equilibrado. Foi feita uma melhoria na cota agrícola (para importação européia) de carne (do Mercosul), mas precisamos ter um quadro completo, claro e preciso?, afirmou o negociador.OutubroOs dois blocos negociam um tratado e estabeleceram outubro como prazo para um acordo final, mas as diferenças nos setores agrícola (em que a Europa é mais protecionista) e industrial e de serviços (nos quais o Mercosul é mais protecionista) estão dificultando as conversações.?Nós já indicamos que podemos fazer uma oferta em compras governamentais. Temos outras possibilidades que ainda estão sendo consideradas pelos governos, nas áreas de serviços bancários, de telecomunicações. Isso só para falar do Brasil?, disse o embaixador.Ele informou que o Mercosul já indicou que pode aceitar incluir mais produtos no acordo, elevando a abrangência da proposta de livre-comércio de 87,5% para 90%. ?Temos um pacote de ofertas adicional para ser feito ao lado europeu. Mas fica difícil avaliar a oferta agrícola melhorada européia, se não conhecemos o quadro todo?, disse o embaixador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.