Mercosul defenderá acordo prévio de tarifas

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, anunciou hoje que o Mercosul defenderá na próxima reunião da União Européia (UE), no dia 23, no Rio de Janeiro, a assinatura de um acordo comercial de preferências tarifárias. Segundo ele, um acordo de curto prazo deveria ser concluído até que a UE decida incluir os produtos agrícolas na pauta de discussão. Amaral acredita que uma negociação para um acordo de livre comércio só poderá ser feita com a abertura do mercado europeu para os produtos agrícolas brasileiros. A UE não está disposta a retirar as proteções ao setor agrícola e quer discutir a questão no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC).O ministro também informou que o bloco sul-americano vai defender no encontro a ampliação dos produtos em pauta. "A negociação poderia ser mais ambiciosa no que diz respeito ao escopo das negociações", disse. Segundo ele, 30% das exportações do Mercosul estão incluídas na lista em negociação e é possível ampliar essa pauta para 40% ou 50%. "O Brasil vai se empenhar para ampliar essa lista. Levantamos alguns setores adicionais e iremos apresentar essa proposta durante a reunião no Rio", disse.O Brasil acredita, segundo o ministro, que um acordo de preferência tarifária seria mais realista no momento do que esperar as negociações para um acordo de livre comércio. "Queremos um acordo o mais rápido possível. Achamos que deveríamos concluir um acordo de curto prazo e quando a União Européia estiver pronta para discutir o setor agrícola passaríamos para um acordo de livre comércio", disse o ministro, em coletiva no Ministério do Desenvolvimento. Amaral destacou que seria "frustrante" o resultado da reunião se os comissários europeus insistirem em dividir as negociações.Em carta enviada na semana passada aos chanceleres do Mercosul, os comissários europeus de comércio e de relações exteriores manifestaram o interesse da União Européia de discutir, numa primeira etapa, as regras das negociações para numa segunda fase passar a discutir a abertura de mercado. "Nós queremos e estamos prontos para discutir a abertura de mercado. Seria um resultado frustrante, porque o Mercosul está pronto para negociar", disse o ministro. "O Brasil quer parceiros mais abertos à negociação", reiterou. Segundo Amaral, a pauta de negociação para um acordo de preferência tarifária com a União Européia inclui produtos industriais e agrícolas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.