Mercosul e Golfo assinam declaração para livre comércio

Os ministros das Relações Exteriores dos países integrantes do Mercosul e o subsecretário geral do Conselho de Cooperação dos Estados Árabes do Golfo (CGC), Mohammed Obaid Almazrooei, assinaram nesta quinta-feira no Rio, uma declaração prévia que deverá se transformar no Acordo de Livre Comércio, até junho deste ano, para facilitar as negociações entre os dois blocos de países. Em documento divulgado à imprensa, os ministros e o representante do Golfo Pérsico expressaram "satisfação" pelo avanço das negociações que tiveram início em Brasília em maio de 2005. Os ministros mencionaram que os principais instrumentos do Acordo de Livre Comércio, que estão praticamente finalizados, são os parâmetros para uma "profunda liberalização comercial, em um período de 8 anos"; o capítulo de serviços, que prevê a liberalização de mercados e serviços além dos níveis já acordados por cada uma das partes da Organização Mundial do Comércio (OMC), e o capítulo sobre investimentos, que estabelece um marco para o tratamento nacional. "Os países do Golfo são grandes compradores de todos os produtos que os países do Mercosul exportam, produtos alimentícios e outros de valor agregado. E ao mesmo tempo, o Golfo é um potencial provedor de capitais e investimentos. Com isso, o Mercosul está se fortalecendo internamente e também se fortalecendo internacionalmente", afirmou o chanceler brasileiro, Celso Amorim, ao final da reunião entre os ministros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.