Mercosul e Grupo Andino discutirão garantias de financiamento

Representantes do Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do BancoInteramericano de Desenvolvimento (BID), da Corporação Andina deFomento (CAF) e do Fundo Financeiro do Desenvolvimento da Baciado Prata (Fonplata) realizarão em Brasília, dentro de 15 dias,uma reunião para tentar resolver a falta de garantias paraconcessão de financiamentos a empresários do Mercosul e do GrupoAndino. Esta tem sido uma das pendências para a liberalização docomércio entre os blocos. "O BNDES tem recursos para financiar investimentos ejoint ventures entre empresas, mas existe uma dificuldade degarantia", explicou o ministro do Desenvolvimento, Indústria eComércio Exterior, Sérgio Amaral. Os organismos também devemidentificar durante a reunião oportunidades de comércio eapresentá-las aos países dos dois blocos. Durante a 2ª Reunião de Presidentes da América do Sul,realizada em Guayaquil, no Equador, na última semana, decidiu-seintensificar as negociações para a assinatura de um acordo delivre comércio entre andinos e os países do Mercosul.MissãoAmaral disse que há a possibilidade de concluiras negociações até o final deste ano. "Houve um consenso noMercosul de que nós devemos concluir essas negociações este ano.Não faz sentido continuarmos prorrogando um acordo provisório jáque nós temos condições de concluir um acordo definitivo",afirmou Amaral. Também serão realizadas missões comerciais doMercosul aos países da Comunidade Andina para tentar ampliar osnegócios. "O BNDES ajudará na formação de associações e parceriasempresariais que facilitarão as negociações do acordo",explicou o ministro. Amaral informou também que, dentro de 30dias, Brasil e Colômbia, apresentaram, como presidente "pro-tempore" do Mercosul e do Grupo Andino, suas propostas parao desbloqueio das negociações entre os dois blocos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.