Mercosul pode suprir demanda alimentícia, diz federação

Diante da crescente demanda mundial por alimentos e das dificuldades para atender a esta procura, as entidades integrantes da Federação das Associações Rurais do Mercosul (Farm, sigla em espanhol) pretendem assumir papel de protagonista para suprir esta necessidade. A afirmação está na Declaração do Conselho Diretivo da Farm divulgada hoje, em Montevidéu, no Uruguai, após reunião do Conselho. Um dos trechos do documento final do encontro afirma que "os produtores agropecuários do Mercosul ampliado integram a região que tem a maior capacidade para assumir a crescente demanda por alimentos, com 120 milhões de hectares de área e um rebanho bovino de 300 milhões de cabeças de gado. A região conta ainda com um potencial maior de produção, podendo incorporar 100 milhões de hectares, sem invadir áreas florestais, respeitando a preservação do meio ambiente".De acordo com a declaração, as entidades que integram a Farm, entre elas a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), reivindicam a necessidade de políticas públicas que contemplem a liberdade de mercado, o respeito ao direito de propriedade, a livre empresa e a vigência do Estado de Direito, entre outros pontos. As instituições também ressaltam a importância de uma estratégia regional nas questões sanitárias, visando cumprir as determinações da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).As informações são da assessoria de imprensa da CNA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.