Mercosul quer o Panamá como associado

O Mercado Comum do Cone Sul (Mercosul) convidou oficialmente o Panamá para fazer parte desse mecanismo regional de integração comercial e política como membro associado, informou neste domingo a Chancelaria panamenha. A oferta a iniciar negociações formais foi apresentada hoje pela presidência pro tempore do Mercosul (que tem Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai como membros plenos), a cargo da ministra das Relações Exteriores do Paraguai, Leila Rachid, durante uma reunião nos Estados Unidos.A Chancelaria panamenha informou que a solicitação foi formulada durante um encontro com empresários do Continente durante a Assembléia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), abertahoje em Fort Lauderdale (Flórida, EUA). "O Panamá pode se transformar num parceiro comercial importante para a América do Sul, e por isto fizemos um convite oficial ao presidente Martín Torrijos para que nos acompanhe na próxima cúpula em Assunção", disse Rachid, segundo a Chancelaria panamenha.A cúpula acontece entre 17 e 20 de junho, e nela espera-se a participação dos presidentes de Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, México, Peru, Venezuela e Uruguai, além do Paraguai, país anfitrião. A chanceler paraguaia disse que os passos seguintes seriam a assinatura de um acordo de complementação econômica e livre comércio, para depois incorporar o Panamá como membro associado do Mercosul. O México também se encontra nesse mesmo processo, explicou Rachid.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.