Merkel, a dias das eleições, descarta austeridade fiscal

Chanceler da Alemanha afirma que 'frear gastos custariam caro ao país e asfixiaria a economia'

André Lachini, da Agência Estado,

23 de setembro de 2009 | 16h25

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, descartou qualquer medida de austeridade fiscal, à medida que o país realiza gastos pesados para reduzir os efeitos da crise econômica. A entrevista com as declarações de Merkel será publicada nesta quinta-feira, 24, pelo jornal alemão Frankfurter Rundschau.

 

Apesar de um déficit cada vez maior, "eu não planejo apoiar uma política de mais austeridade", Merkel disse ao jornal, a poucos dias das eleições de 27 de setembro, as quais ela é favorita para vencer. "Nós estamos numa fase delicada com uma recuperação que ainda é frágil", ela disse.

 

Para a Alemanha se recuperar, "as exportações precisam decolar novamente e o clima econômico mundial precisa ser estável", disse Merkel, alertando que medidas de austeridade para colocar um freio nos gastos "custariam caro à Alemanha" ao asfixiar a atividade econômica. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Angela MerkelAlemanhaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.