finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Merkel: UE não vai resolver a crise com uma cúpula

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse nesta terça-feira que os líderes da União Europeia (UE) darão um passo importante na próxima cúpula para resolver a crise da dívida. Merkel ponderou, contudo, que mais passos serão necessários.

REUTERS

18 de outubro de 2011 | 20h43

"O encontro da UE (União Europeia) é um importante passo, mas mais passos se seguirão, porque isso diz respeito a superar a crise de dívida soberana", afirmou Merkel a jornalistas em Berlim.

"Essas dívidas soberanas foram construídas ao longo de décadas e, portanto, ninguém pode resolvê-las com um encontro, isso exigirá trabalho difícil, de longo prazo", disse.

"Todavia, realmente acho que seremos capazes de tomar decisões relevantes e importantes."

No início desta terça-feira, fontes do Partido Democrata Cristão (CDU) --do qual Merkel faz parte-- disseram que a chanceler afirmou esperar que os líderes europeus desenvolvam um "plano de trabalho" para a Grécia num encontro em 23 de outubro.

Falando ao lado do presidente do Uruguai, José Mujica, Merkel disse que a UE também buscará discutir mais sobre acordos comerciais com o Mercosul na cúpula do G20 na cidade francesa de Cannes, em novembro.

A UE e o Mercosul --que agrupa Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai-- têm tentado há anos elaborar um acordo de livre comércio que englobe 750 milhões de pessoas e movimente o equivalente a 125 bilhões de dólares por ano.

As conversas foram retomadas em 2010, mas questões não resolvidas esfriaram esperanças de se chegar a um acordo até o meio deste ano.

"O Uruguai é um país que tem um grande interesse em aprofundar a cooperação do Mercosul com a Europa, e eu disse que a UE também tem um interesse estratégico, então faremos tudo durante a reunião do G20" para avançar com as negociações, disse Merkel.

(Reportagem de Sarah Marsh e Sobolewski Matthias)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROMERKELCRISEATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.