Merrill: ações com recuperação

As companhias que representam setores a serem beneficiados com a recuperação econômica e a melhora do consumo são as principais recomendações do Merrill Lynch para o mercado de ações. Os destaques concentram-se nos segmentos de bancos, papel e celulose, varejo e telecomunicações.A aposta do setor bancário é Bradesco. "Com a queda dos juros, o banco deverá apresentar um crescimento na área de empréstimos", disse o analista de ações para o Brasil da Merrill Lynch, Marcelo Audi. Um dos fatores que devem impulsionar esse aumento é a base de clientes da instituição, uma das maiores do País. A Votorantim Celulose e Papel é o destaque desse setor. "O consumo de papel está forte internamente e o preço internacional da celulose está bom", afirmou. Os contratos futuros com vencimento em dezembro deste ano estão sendo fechados a US$ 689,00 a tonelada. Esses preços internacionais estão próximos do pico histórico, de US$ 700,00 por tonelada. Pão de AçucarO setor de varejo tem no Pão de Açúcar a principal aposta do Merrill Lynch. A previsão para 2001 e 2002 é de melhora na demanda por unidades semi duráveis e não duráveis que, de acordo com ele, também possui boa cobertura da rede. O analista acredita ainda que o Pão de Açúcar se beneficiará da tendência de consolidação do segmento. "Com a aquisição de outras redes, o grupo deve ganhar escala e participação no mercado."Embratel é a grande pedidaA experiência na venda de bens duráveis é a base da recomendação de Usiminas. A principal variável que puxa a recomendação de companhias de telecomunicações é a consolidação setorial. Para Audi, a Embratel é é a grande pedida da telefonia no futuro. Fatores como a extensa rede de cabos e os benefícios de supostas parcerias com empresas de Internet estão entre os destaques. O analista aposta ainda no segmento de telefonia celular, que tem como principal recomendação a Tele Celular Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.