Merrill deixa crédito hipotecário de risco e corta 650 empregos

O Merrill Lynch vai eliminar 650empregos ao decidir parar de fazer financiamentos imobiliáriosde risco elevado por meio da unidade First Franklin FinancialCorp. O Merrill afirmou que está deixando o ramo definanciamentos de risco elevado, por conta da deterioração domercado de hipotecas de residências concedidas a pessoas com umfraco histórico de crédito. O banco de investimentos afirmou que tentará vender a HomeLoan Services, unidade do First Franklin que lida com cobrança.O Merril espera incorrer em 60 milhões de dólares em cobrançasrelacionadas ao First Franklin, pricipalmente por pagamentos dedesligamento e fechamento de escritórios, com cerca de metadeda quantia no primeiro trimestre. As ofertas pela Home Loan Services devem ser solicitadaspelo banco nas próximas semanas. O Merril havia comprado o First Franklin e parte de seuportfólio de empréstimos da National City Corp, por 1,3 bilhãode dólares em dezembro de 2006. O legado do First Franklin segue um prejuízo de 9,83bilhões de dólares do Merrill no quarto trimestre, o piortrimestre em seus 94 anos de história, refletindo cerca de 16bilhões de dólares em baixas contábeis relacionadas a hipotecassubprime e ajustes. O ex-presidente-executivo do Merrill, Stanley O'Neal,esperava que o First Franklin oferecesse ao banco um fluxo deempréstimos imobiliários que o Merrill pudesse englobar evender como securities. Mas esse plano ruiu com a queda nopreço das moradias nos Estados Unidos e investidores parando deadquirir empréstimos imobiliários que não considerassem maisseguros. O'Neal foi afastado do cargo de presidente-executo emoutubro, e subtituído por John Thain, ex-presidente da NYSEEuronext . Dúzias de credores hipotecários fecharam ou reduziram seupessoal nos últimos meses por conta dos problemas no mercadoimobiliário. Três outros grandes de Wall Street --Bear Stearns, LehmanBrothers Holdings e Morgan Stanley -- também anunciaram cortesde empregos relacionados aos problemas com hipotecas nosúltimos meses. Bill Halldin, porta-voz do Merrill, afirmou que osprimeiros cortes serão feitos este mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.