Merrill Lynch: chance de recessão nos EUA chega a 100%

Um novo indicador para avaliar a probabilidade de recessão nos EUA no próximo ano indica que a chance subiu de 75% em outubro para 100% atualmente, segundo o banco de investimentos Merrill Lynch. Em relatório, os economistas David Rosenberg e Claudia Lokody afirmam que o indicador, apresentado pelo banco na semana passada, usa a curva de rendimento (de títulos de dez anos/Libor de três meses) e os spreads corporativos para prever a chance de recessão nos próximos 12 meses.O resultado é impressionante, ao mostrar que a chance de recessão em 2008 disparou de virtualmente zero em meados do ano, para 75% em outubro e 100% agora. "Olhando para trás na história, o modelo fez um trabalho muito bom ao prever as recessões de 1990/1991 e 2001", afirmam. Em dezembro de 1989, as chances de recessão saltaram para 95% e, em agosto de 1990, a recessão foi oficialmente declarada. Igualmente, em outubro de 2000, o modelo mostrava 100% de chances de recessão e, em setembro de 2001, a economia entrava oficialmente em recessão.Segundo o relatório, o mercado acionário está precificado em 40% para este cenário de recessão e muitos setores cíclicos, especialmente matérias-primas, tecnologia e indústrias, mal descontaram este cenário, que, no passado, envolveu um declínio de pelo menos 20% nos lucros corporativos. "Se nossa análise macro estiver correta, então os bônus de alta qualidade, os setores defensivos, os papéis com crescimento confiável de dividendos e situação especiais (agricultura, água) serão, na nossa opinião, as áreas em que se deve focar quando a liderança se estreita na esfera geral de investimento", recomendam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.