Merrill Lynch mantém recomendação para ações da Petrobras

Os resultados da Petrobras no primeiro trimestre, anunciados na noite de sexta-feira, superaram as estimativas do Merrill Lynch, que manteve a recomendação de "compra" para as ações e o preço-alvo de US$ 60,00 por ADR - títulos da empresa negociados no mercado de ações norte-americano. "Continuamos acreditando que o esperado crescimento nas exportações nos próximos cinco anos vai produzir uma grande mudança na percepção do investidor do risco frente a Petrobras", diz o Merrill em relatório. Apesar da pressão dos custos, o banco de investimentos destacou em relatório que a petrolífera obteve fortes resultados em seus principais negócios. O lucro de US$ 1,72 por ADR no trimestre superou com folga a estimativa de US$ 1,53 do Merrill. A empresa registrou lucro de R$ 4,58 por ação no período enquanto o banco previa lucro de R$ 4,08 por ação. O lucro operacional foi da companhia impulsionado pela melhora nas performances de exploração e produção e de refino. A receita com exploração e produção da Petrobras subiu 29%, para R$ 7,2 bilhões, auxiliada pelo acréscimo de 5% na produção doméstica de petróleo. Os resultados da divisão de refino saltaram 61% na comparação com os primeiros três meses de 2004, para R$ 2,351 bilhões. O desempenho é atribuído aos efeitos de dois reajustes de preços durante o quarto trimestre, alta de 5% em volumes e forte redução nas importações. Agora os analistas aguardam a divulgação do plano estratégico da Petrobras, em junho. Às 12h40 (de Brasília), o ADR da petrolífera apresentava leve queda de 0,12% em Nova York, para US$ 42,23.

Agencia Estado,

16 Maio 2005 | 15h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.