Merrill Lynch prevê reajuste de até 30% para energia

Relatório divulgado hoje pela MerrillLynch aponta uma previsão de aumento das tarifas de energia esteano entre 25% a 30%. O reajuste se deve à revisão prevista paraacontecer a cada cinco anos e vai considerar o repasse daprodutividade das empresas para o consumidor, o chamado FatorX. O relatório lembra que o governo brasileiro vai anunciaramanhã a previsão de revisão das tarifas da Cemig, CPFL, Cemat eEnersul e "indica" que o ideal seria "adiar" estadivulgação. Segundo o relatório, há forte possibilidade de aprevisão a ser anunciada amanhã ser muito diferente da efetivatarifa, que será conhecida somente em abril. A americana Merrill Lynch indica que o mercado temestado preocupado com a definição das mudanças previstas pelogoverno para o setor elétrico e quanto tempo elas levarão paraser implantadas. Neste primeiro grupo de empresas a passar peloprocesso de revisão tarifária, a instituição aponta que seráimportante destacar dois pontos principais. O primeiro é oporcentual do ajuste e o segundo é a forma utilizada pelogoverno para tratar temas importantes como a definiçãoapropriada do fator X. O relatório lembra que nos próximos anos o Brasildependerá de investimentos na capacidade de geração de energia e por isso, aspectos que mostrem a forma de agir do novo governosão de importância relevante para os investidores. "Para omercado, o fato é que há um movimento neste setor que parece serpositivo, mas nós vamos manter nossa opinião até ver osresultados", diz o relatório, lembrando que mantém posiçãoconservadora em relação ao setor elétrico brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.